Planeamento de sucesso: ver mais longe, ir mais rápido

Em gestão, se as empresas só veem o curto prazo, veem pouco. Vão devagar, e se vão devagar são ultrapassadas por aquelas que veem mais à frente.

A gestão do dia a dia pode retirar o foco do que realmente é importante. E a única forma de um gestor contrariar esta inércia é preparar a sua empresa com formas que transformam o que é prioritário em urgente. No entanto, sabe-se que qualquer empresa terá maior sucesso se tiver um excelente planeamento de gestão.

Neste artigo partilho breves ideias que podem ajudar a melhorar o planeamento das empresas, já a partir do próximo ano, e que vão impactar positivamente os resultados da mesma.

Comecemos pela dura realidade, atualmente são raros os momentos em que paramos para pensar. É muito fácil que os gestores sejam absorvidos com a gestão do dia a dia, e é cada vez mais difícil encontrarem momentos em que se pare verdadeiramente para refletir. No entanto, se não forem arranjando espaço para se focarem no que é vital para o futuro, acabam por ter empresas que andam à volta delas próprias.

Mas, a solução para este desafio pode ser bastante simples. As empresas necessitam de profissionalizar o pensamento sobre o futuro. E para isso são necessários três passos: definir um modelo de governance, planear atempadamente e executar com agilidade.

governance, é um sistema de boas práticas internas, com regras, espaços e tempos bem definidos, que nos permite gerir melhor, e é por isso uma parte muito importante na empresa. É essencial que nos concentremos naquilo que é essencial e estudar aquilo que são os nossos pontos fortes, as nossas fraquezas. Portanto, primeiro que tudo é importante ter um sistema.

Posteriormente, temos de planear, porque planear é uma parte vital sobre todo este pensamento sobre o futuro. E existem várias formas de dividir o planeamento, mas é essencial que seja primeiro fazer um diagnóstico, e com base nisso preparar uma estratégia, que permite a construção e definição de objetivos concretos, e que posteriormente vão dar origem a um plano de ação. De seguida, é importante definir, consoante as ações, os vários timings, recursos humanos, recursos financeiros. Todo este conjunto de ações permite ter a visibilidade sobre o orçamento, que será a base da estratégia do ano seguinte.

Por fim, vem a execução do plano. E aqui, o mais relevante, é a capacidade de adaptação à mudança. É sempre importante ter um plano, e pensar nele, mas não o podemos considerar como definitivo. Portanto, é imprescindível estarmos preparados para rever se o plano está a ser cumprido como esperado ou se é necessário fazer acertos. É essencial que se façam revisões e ter um controlo orçamental. Isto vai permitir ver se o plano está a ser executado e em que medida está a ser executado

Estas ideias vão ajudar a sua empresa a crescer, a ser mais eficaz e mais rentável. Se ficou com vontade de saber mais, é disto que se falará no próximo episódio das PHC Exec Talks. Aproveite-a e comece o seu planeamento agora.

Este texto foi publicado previamente pelo autor no site Jornal Económico.

Categories Artigo